1 de dezembro de 2020 às 12:46
Escolha seu idioma:

CURTA NOSSA PÁGINA DO FACEBOOK E RECEBA NOVIDADES

Salvador se aproxima dos 90% de leitos de UTIs ocupados nesta terça, diz secretário


Publicado em: 26/05/2020 11:31
Por: Redação Bahia Municípios com A TARDE FM Foto: Divulgação


O número de leitos de Unidades de Terapia Intensiva (UTI) ocupados nos hospitais de Salvador cresceu 5% em menos de 24h e chegou a taxa de 88% na manhã desta terça-feira, 26, de acordo com o gestor da Secretária Municipal de Saúde (SMS), Leo Prates, em entrevista ao ‘Isso é Bahia’, na rádio A TARDE FM.

Segundo o secretário da Saúde, este aumento é preocupante porque os leitos de UTI são bens finitos e, se continuar com esta taxa de ocupação, a capital baiana pode chegar ao colapso do sistema de saúde.

Salvador se aproxima dos 90% de leitos de UTIs ocupados nesta terça, diz secretárioGestor da SMS participou de entrevista no ‘Isso é Bahia

A preocupação aumenta, também, porque a ocupação das UTIs continuam crescendo mesmo após a Prefeitura e o Governo do Estado aumentarem o número de leitos em Salvador.

“Estamos fazendo hospitais que demorariam mais de um ano em apenas 30 ou 40 dias, mas ficamos preocupados porque está acontecendo esta ampliação expressiva e a gente não vê a taxa de ocupação de leitos de UTI abaixar”, comenta Leo Prates.

Sagrada Família

Ainda segundo o gestor da SMS, nesta terça vão ser abertos no Hospital da Sagrada Família mais cinco leitos de UTI e 20 leitos clínicos. A previsão é que na próxima segunda-feira, 1º de junho, seja aberto os 20 leitos de UTI planejados para a primeira fase e mais 55 leitos clínicos.

Com isso, Salvador possui na sua rede saúde, implantados pela Prefeitura, 129 leitos de UTI com respiradores exclusivos para atender pacientes diagnosticados com Covid-19.

Retomada econômica

Para o secretário Leo Prates, a retomada econômica da capital baiana e o afrouxamento das restrições de isolamento social só vão ser praticadas quando a taxa de ocupação dos leitos de UTI diminuírem para, no mínimo, 70%.

“O ideial seria 50% das ocupações dos leitos de UTI, mas técnicos acreditam que podemos começar uma flexibilização das medidas de restrição abaixando esta taxa para 70%. Para isso nós precisamos da colaboração das pessoas”, destacou o secretário.

Com isso, conforme Prates, é preciso seguir a recomendação de isolamento social e evitar sair de casa se não for necessário. “O principal motivo das medidas restritivas, que é possibilitar que a pessoa tenha direito de lutar pela vida. O maior gesto de amor é ficar em casa e para isso precisamos da colaboração das pessoas”, finalizou o titular da pasta.

Comentários