12 de agosto de 2020 às 13:00
Escolha seu idioma:

CURTA NOSSA PÁGINA DO FACEBOOK E RECEBA NOVIDADES

Rolando Pérez Rodríguez: Os medicamentos mais inovadores desenvolvidos em Cuba


Publicado em: 19/03/2020 10:03
Por: Orfilio Peláez | [email protected] | Foto: Divulgação


Uma das prioridades é a busca e desenvolvimento de novos medicamentos que atuam diferentemente daqueles já existentes para o tratamento de uma determinada doença, o que amplia as opções para alcançar tratamentos mais eficazes que melhorem a qualidade de vida dos pacientes.

Sobre o assunto, o Granma Internacional contatou o Doutor em Ciências Biológicas Rolando Pérez Rodríguez, diretor de Ciência e Inovação de BioCubaFarma.

Quantos projetos inovadores de pesquisa-desenvolvimento, com potencial impacto na saúde, são implementados nas instituições do Grupo de Negócios?

«No campo da biomedicina, atualmente a entidade executa 102 projetos, sendo 75 deles inovadores com patente cubana. Aproximadamente 25% deles são produtos em desenvolvimento que têm o potencial de se tornar únicos em sua classe. Sete estão nos estágios iniciais de testes clínicos em áreas terapêuticas associadas às principais causas de mortalidade em nosso país».

Quais deles estão relacionados à terapia do câncer?

«Na área da Oncologia, temos a vacina terapêutica HerberSavax, do Centro de Engenharia Genética e Biotecnologia (CIGB), em testes clínicos de fase II em tumores ovarianos e hepatocarcinoma. Este produto tem um efeito antiangiogênico, ou seja, reduz a formação de vasos sanguíneos no tumor e, portanto, o suprimento de nutrientes e oxigênio, o que leva à inibição de seu crescimento. Os resultados preliminares dos testes clínicos de fase I, para avaliar a segurança do medicamento, mostraram evidências de redução do volume tumoral em alguns pacientes, algo que é muito encorajador».

«A inclusão de pacientes em um teste clínico de fase I com um biofarmacêutico imunomodulador, criado no Centro de Imunologia Molecular (CIM), em pacientes com tumores sólidos também está prestes a começar. Esse biofarmacêutico é uma proteína recombinante, projetada a partir da interleucina 2 (il2), que é um fator de crescimento dos linfócitos T, um tipo de glóbulo branco, ligado ao controle da resposta imune do organismo. Este produto faz parte do campo da imunoterapia contra o câncer, um assunto de intensa pesquisa atualmente».

«Temos cinco outros produtos em desenvolvimento nos estágios iniciais dos testes clínicos, dos quais duas são vacinas terapêuticas, dois peptídeos antitumorais e um anticorpo monoclonal».

Existem novos produtos em desenvolvimento para o tratamento de doenças cardiovasculares e cerebrovasculares?

«Uma combinação terapêutica chamada cigb845, um peptídeo mais uma proteína recombinante, é avaliada em um teste clínico de fase II / III em pacientes com acidente vascular cerebral não hemorrágico. Este produto possui um efeito neuroprotetor, que diminui a área infartada após a ocorrência do evento isquêmico (falta de suprimento sanguíneo), demonstrado em modelos animais. O teste clínico de fase I / II forneceu a primeira evidência de uma diminuição na mortalidade dos pacientes e as consequências que levam às deficiências nas quais eles sobrevivem, dados que, se confirmados na pesquisa clínica em andamento, devem fornecer provas do conceito esperado».

«Por outro lado, o produto em desenvolvimento denominado cigb500, é um peptídeo com uma poderosa atividade cardioprotetora, demonstrado em diferentes modelos animais. O teste clínico de fase I demonstrou a segurança do medicamento. Atualmente, está sendo realizado um teste clínico de fase II em pacientes com infarto agudo do miocárdio, cujos resultados devem estar prontos na segunda metade do ano».

A demência é um dos problemas de saúde associados ao envelhecimento da população cubana, que novos produtos são investigados?

«A eritropoietina é um fator de crescimento dos glóbulos vermelhos; sua produção em escala industrial como proteína recombinante permitiu seu uso farmacológico em pacientes com insuficiência renal».

«Hoje sabemos que esta droga também atua em diferentes células cerebrais. O CIM, em colaboração com o Centro de Pesquisa e Desenvolvimento de Medicamentos (Cidem), desenvolveu uma nova formulação de eritropoietina humana recombinante (NeuroEpo), com características semelhantes às produzidas no cérebro humano e aplicada aos pacientes por passagem nasal. Ela demonstrou um efeito neuroprotetor em diferentes distúrbios cerebrais em modelos animais e os testes clínicos de fase II estão em andamento em diferentes doenças do sistema nervoso, incluindo a ataxia espinocerebelar, doença de Parkinson e doença de Alzheimer».

«O teste clínico NeuroEpo na doença de Alzheimer encerrou a inclusão de pacientes no ano de 2019 e deve concluir sua avaliação no segundo semestre do ano».

«Outros produtos inovadores demonstraram efeito terapêutico em modelos experimentais próprios da doença de Alzheimer, como nos casos do cigb845 acima mencionado; Cidem164, uma molécula obtida por síntese química que atua em múltiplos alvos terapêuticos no cérebro, resultado da colaboração com a Faculdade de Química da Universidade de Havana, e a Amylovis, molécula também obtida por síntese química no Centro de Neurociências de Cuba (Cneuro), que inibe a formação de placas beta-amilóides».

Como o Dr. Rolando Pérez Rodríguez apontou, também está sendo feito um trabalho sobre o desenvolvimento de novos medicamentos para a terapia de doenças autoimunes. Um exemplo disso é o peptídeo imunomodulador cigb814, que está em fase de teste clínico II para o tratamento de pacientes com artrite reumatóide, uma condição que gera um alto grau de incapacidade.

«Ao contrário de outros medicamentos utilizados contra a condição médica acima mencionada, este biofarmacêutico não possui atividade antiinflamatória imunossupressora ou direta, mas restaura o controle da resposta imune aos próprios antígenos (tolerância natural), através da expansão das células t reguladoras».

Quanto à questão das novas vacinas preventivas, o pesquisador sênior e membro de mérito da Academia de Ciências de Cuba indicou que o Instituto Finlay vem trabalhando na criação de uma vacina pneumocócica. «Um teste clínico de fase III foi concluído recentemente em pré-escolares na província de Cienfuegos, com resultados satisfatórios e seu registro deve ser solicitado à agência reguladora cubana, o Centro de Controle Estatal de Medicamentos, Equipamentos e Dispositivos Médicos (Cecmed)».

«Em breve», disse, «está planejado iniciar o teste clínico de Fase III em bebês, na província de Santiago de Cuba.»

Precisões

— A BioCubaFarma, fundada em 2012, é composta por 32 empresas com 65 unidades de negócios base e 80 linhas de produção. Também associou 21 unidades de ciência e tecnologia.

— Seu capital humano é composto por mais de 20.000 trabalhadores, cuja idade média é de 42 anos. Fazem parte dessa força de trabalho 17 mil profissionais, técnicos e operadores, além de 1.265 mestres e 278 doutores em ciências.

— Entre os resultados de 2019, destaca-se o cumprimento do plano de exportação com a comercialização de mais de 300 produtos em 43 países.

— No ano passado, o plano de produção comercial foi cumprido em 107,3%, enquanto forneciam 887 produtos ao sistema nacional de saúde, dos quais 357 são medicamentos. Este número representa 57% da tabela básica do país.

Comentários