29 de janeiro de 2020 às 15:10
Escolha seu idioma:
CURTA NOSSA PÁGINA DO FACEBOOK E RECEBA NOVIDADES

Reis: “Não há a hipótese de Bruno Reis e Leo Prates disputarem a mesma eleição”


Publicado em: 13/01/2020 13:02
Por: Foto: Raul Spinassé | Ag. A TARDE


Com a pré-candidatura à prefeitura de Salvador lançada no último dia 6, o vice-prefeito Bruno Reis (DEM) afirma que trabalha para aumentar o leque de partidos apoiadores do seu nome. Atualmente, já são 12 legendas que decidiram integrar o projeto de sucessão do prefeito ACM Neto (DEM). O Portal A TARDE conversou com o democrata e inicia, nesta segunda-feira, 13, uma série de entrevistas com atores da política que estarão envolvidos nas eleições municipais deste ano. Com periodicidade semanal, as entrevistas levarão ao leitor informações a respeito do que pensam prefeituráveis e dirigentes partidários.

Nesta conversa, Bruno Reis afirma categoricamente que não haverá duas candidaturas do grupo político liderado pelo prefeito ACM Neto. Desta forma, conta com o apoio do pré-candidato Leo Prates, secretário municipal da Saúde e deputado licenciado que está articulando sua migração do DEM para o PDT.

Reis afirma que, caso eleito, a prioridade da sua gestão será combater a desigualdade social existente na cidade, apostando no crescimento econômico com geração de emprego e renda para a população. O pré-candidato diz ainda que pretende adotar uma administração de avanços. Confira, abaixo, o bate-papo completo.

A TARDE – Bruno, cabeça de chapa definida, como se dará, a partir de agora, o processo de escolha do nome para o posto de vice? Quais critérios serão levados em consideração?

Bruno Reis – Será um conjunto de critérios, não há um único critério levado em conta, digamos assim, que seja com base nele que teremos a decisão. Vamos ouvir a todos que hoje compõem nosso grupo e fazem parte desse projeto, e também outros que queiram somar com esse projeto. No momento certo, que a gente imagina que seja mais próximo das convenções, a gente apresenta o nome para a cidade. Com certeza, será alguém que possa contribuir, somar, ajudar a gente fazer com que esse projeto avance ainda mais.

AT – Você tem a preocupação pessoal de ter como vice alguém que seja negro ou que seja mulher, para representar um determinado eleitorado na capital?

BR – São critérios importantíssimos que nós precisamos levar em consideração até para ajudar a complementar o meu perfil. Mas como eu disse, não serão só estes critérios, serão vários outros que teremos que perseguir. O principal é ter a condição de contribuir com esse trabalho que estamos realizando em Salvador.

 

Democrata diz que, se eleito, fará uma gestão focada no combate à desigualdade social | Foto: Raul Spinassé | Ag. A TARDE
Democrata diz que, se eleito, fará uma gestão focada no combate à desigualdade social | Foto: Raul Spinassé | Ag. A TARDE

AT – Pesquisas eleitorais feitas no fim do ano passado mostraram o presidente do Esporte Clube Bahia, Guilherme Bellintani, pontuando bem nas intenções de votos, aparecendo até em segundo lugar em alguns cenários. O que achou da desistência dele de concorrer nestas eleições?

 

BR – Eleição majoritária é sentimento. Acho que o sentimento que prevalece, hoje, na cidade, é um sentimento de que esse trabalho do prefeito ACM Neto deve avançar. Guilherme, pela vida empresarial e pela vida pública, tinha um perfil dentro desse desejo da cidade. Com a não participação dele no processo político, entre todos os nomes que aí estão, o meu é o que mais se encaixa mais agora nesse perfil. Não tenho dúvida de que isso facilita ao eleitor decidir.

AT – Caso eleito, Bruno Reis terá uma gestão de continuidade da administração de ACM Neto, ou tentará deixar uma marca pessoal na cidade?

BR – Vamos ter uma gestão de avanços. Nós apresentamos a estabilidade, a segurança, a garantia de que as conquistas que Salvador tem, hoje, estão asseguradas. Apresentamos a certeza de que a cidade não vai retroceder ou recuar. Pelo contrário, ela vai avançar ainda mais. Vamos avançar ainda mais o seu patamar. Então, o nosso nome representa isso, o desejo e a percepção que a cidade tem hoje de que podemos mais. Em 2013, a pauta era a limpeza da cidade, que estava suja, a iluminação, recuperação de asfaltos nas ruas. Hoje, não. Elevamos o patamar da gestão pública municipal, isso nos permite sonhar novos sonhos. Sonhos mais audaciosos e mais ambiciosos. Eu quero ser instrumento para realização destes sonhos.

AT – Chegando à prefeitura, qual será sua principal preocupação, uma bandeira que pretende priorizar?

BR – Sem sombra de dúvida, a área social, que faz parte do meu DNA pela minha formação tanto na área acadêmica, como também pela oportunidade que eu tive de ser secretário municipal de Promoção Social e Combate à Pobreza. Salvador é uma cidade muito desigual, com deficits históricos. Vamos priorizar as áreas mais pobres da cidade com diversos projetos que estamos tocando nesse momento, além de novos que vamos apresentar, sempre com o foco de tentar possibilitar que nossa cidade, através da elevação do seu patamar, possa ter crescimento econômico, gerando oportunidades para que as pessoas tenham acesso a emprego e renda. Sem sombra de dúvida, essa é a principal forma de distribuir riquezas na cidade.

AT – No evento de lançamento da sua pré-candidatura, foi notória a ausência do secretário municipal da Saúde, Leo Prates, também pré-candidato. Isso foi conversado anteriormente entre vocês?

BR – Leo Prates está em processo de mudança para o PDT. O partido, hoje, não compõe a nossa base. Ali, foi o lançamento da pré-candidatura do Democratas e seus partidos aliados. Unificamos todos que, hoje, contribuem com o nosso projeto. Eles são responsáveis, como a gente, pelo sucesso que é, hoje, a nossa administração. Foi esse sentimento, compromisso maior com a cidade, que prevaleceu. Inclusive, partidos que tinham outros nomes com pré-candidaturas abriram mão dos seus projetos partidários e pessoais pensando no melhor para a cidade. Decidiram, juntos, pelo nosso nome. Agora, vamos iniciar as conversas com outros partidos que não estão na base e demonstram o desejo de fazer parte disso. Querem trazer suas ideias para ajudar essa cidade. A presença de Leo Prates no PDT estreita ainda mais o diálogo com esse partido.

AT – Você acredita que o grupo de ACM Neto tenha mais de uma candidatura concorrendo à prefeitura?

BR – Não há hipótese disso ocorrer. Inclusive, não há a hipótese de Bruno Reis e Leo Prates disputarem a mesma eleição para o mesmo cargo. Podem ter certeza que nas convenções estaremos juntos. Pelo compromisso que eu e Leo temos com o projeto que há 20 anos estamos construindo juntos, e principalmente com o compromisso que temos com Salvador.

AT – Você falou nos partidos que não são aliados, mas que podem se juntar nesse projeto da sua candidatura. Como estão estas tratativas para atrair legendas que integram o campo adversário liderado pelo governador Rui Costa (PT)?

BR – A gente tinha uma primeira missão que era definir o nome e unificar nossa base. Agora, iniciaremos as tratativas. Vamos buscar partidos que pensam como a gente. Começaremos a apresentar o que a gente pensa para a cidade, dentro do que eu consegui reunir nestes 20 anos de vida pública, em especial no último ano, quando rodei essa cidade como nenhum outro. Fui a todos os bairros, todas as baixadas, todos os guetos, vielas. Subi e desci morros e escadas. Debati com todos os segmentos representativos da cidade, sempre ouvindo, e tenho muitas ideias, muitos projetos que estão sendo desenvolvidos e que apresentarei a estes partidos. Espero ter a capacidade de convencê-los para que aceitem o desafio de ajudarem a nossa cidade ao meu lado, contribuindo com seus quadros, seus pensamentos, com suas bandeiras. Então, estes serão os próximos passos a serem dados.

Comentários