26 de agosto de 2019 às 00:43
Escolha seu idioma:
CURTA NOSSA PÁGINA DO FACEBOOK E RECEBA NOVIDADES

Permissionários da Ceasinha do Ogunjá querem melhor estrutura


Publicado em: 15/08/2019 20:36
Por: Redação TB Yuri Abreu | Foto: Romildo de Jesus


Para dinamizar o local, os comerciantes sugeriram a implantação de uma lotérica e banco 24 horas.

Um mercado que tem cerca de 40 anos e está, segundo permissionários, abandonado pelo poder público. Contudo, os mesmos que tem “segurado a barra” na maior parte desse tempo, também têm esperança de dias melhores, mais adiante. Essa tem sido a realidade daqueles que trabalham na tradicional Ceasinha, localizada no Vale do Ogunjá, em Salvador. Atualmente, segundo um funcionário da administração do local, dos 104 boxes existentes, pouco mais de 60% estão em funcionamento – restaurantes em sua maioria.

“Para termos mais acesso de clientes, penso que poderíamos ter aqui, uma lotérica, uma farmácia ou um banco 24h, pois muita gente que vem aqui com cartão, por exemplo, não tem como realizar o saque e as compras”, afirmou a comerciante Lucimeire Andrade, de 42 anos, 10 deles dedicados a Ceasinha. Segundo a ela, a atual situação do espaço fez com que chegasse a pensar em entregar o box que ocupa no local. “Eu chegava a vender 50 cocos ralados por semana. Agora, malmente vendo seis em um dia de sábado”, disse.

Outro que também espera dias melhores para o equipamento, que já foi um dos principais pontos de comercialização de hortifrutigranjeiros da capital baiana, é o também comerciante Paulo Assis, de 61 anos, há 22 trabalhando na Ceasinha, depois de se aposentar como bancário. A expectativa, no caso dele, é o de que a “virada” aconteça com a reabertura da nova Cesta do Povo, em um prédio que fica ao lado do equipamento. “A hora de maior movimento que nós temos aqui é durante o almoço, mas, no meu caso, tive perdas de 80% nas vendas. Os boxes que fecham, infelizmente, acabam não abrindo”, pontuou.

A reportagem da Tribuna da Bahia esteve na tarde de ontem no local e viu que o movimento, em um espaço onde deveria funcionar um Centro de Abastecimento, estava abaixo do esperado, mesmo em uma quarta-feira pela tarde. Mas, segundo este mesmo funcionário, que preferiu o anonimato, melhorias já foram feitas na iluminação do local. Além disso, ele informou que, na parte de trás do mercado, terá também a presença de um complexo de delegacias.

Resposta

Em nota, a Secretaria de Desenvolvimento Econômico do estado (SDE), informou que o plano de requalificação dos Centros de Abastecimentos já foi iniciado. O processo foi iniciado pela Ceasa de Simões Filho e em breve contemplará a Ceasa do Ogunjá, que trará benefícios estruturais e operacionais ao local.

“A SDE reitera que ocorre manutenção corretiva, periódica, no Mercado do Ogunjá. As instalações são lavadas duas vezes por semana – quinta-feira e domingo. As lâmpadas são trocadas à medida que queimam e é feita dedetização. A Secretaria reforça que as melhorias que serão aplicadas nesta Ceasa vão propiciar boas condições de trabalho aos permissionários atuais e deverá atrair novos utilizadores dos boxes, além de aumentar a circulação de clientes”, explicou o órgão estadual.

 

Comentários