7 de dezembro de 2019 às 00:33
Escolha seu idioma:
CURTA NOSSA PÁGINA DO FACEBOOK E RECEBA NOVIDADES

OTTO ALENCAR – senador pelo PSD na Bahia


Publicado em: 29/10/2019 9:28
Por: João Paulo Almeida Portal Bahia Econômica | Foto: AG. Senado


Bahia Econômica- Como o senhor avalia a votação da divisão onerosa do pre-sal no senado federal?

Otto Alencar- Nós conseguimos pressionar o governo federal. Eles queriam agilizar a reforma da Previdência e nós chegamos e colocamos o pré-sal na frente. Nós negociamos e conseguimos um espaço maior no governo. Foi bom, mas não foi o ideal. Primeiro o governo queria que os recursos fossem utilizados para ementas de parlamentares, depois que fosse utilizada para precatórios de estados, nós conseguimos acabar com isso e trazer os recursos para os estados num acordo entre Câmara, Senado e Governo. Eu me reuni com líderes das casas e com o presidente Davi Acolumbre e conseguimos fechar esse acordo. A Bahia perdeu um pouco de recursos mais ainda é o terceiro estado que mais vai receber.

BE- Sobre o fato a posição da Bahia, como o senhor analisa a divisão onerosa do pre-sal.

OA- Não foi a melhor, mas foi aquela que nós conseguimos. Se você analisar o governo tem maioria na Câmara e no Senado. Somos minoria nas duas casas, então quando nós conseguimos algumas vitórias tem que ser a base dessas negociações, caso contrario não vai acontecer. É claro que eu fiquei triste com a mudança, pois a Bahia perdeu mais de R$ 100 milhões de reais, mas pelo menos vamos garantir os R$ 761 milhões, que já é um bom volume. Eu falei com o governador Rui Costa, ele também disse que não era o ideal mas era uma coisa boa para o estado, então foi o que conseguimos.

BE- Sobre a reforma da Previdência como o senhor  vê a redução do abono salarial ?

OA- O governo já está fazendo as contas dele com esse R$ 75 bilhões a menos. A reforma em si tem alguns pontos que nós precisamos discutir mais. Alguns pontos ainda muito ruins para o trabalhador. Conseguimos algumas vitórias como a questão do trabalhador Rural e do abono. O governo queria reduzir para R$ 1.364 reais e nós mantivemos em dois salários mínimos. Foi uma vitória grande, mas ainda tem pontos nessa reforma que eu sou contra, mas como eu já havia dito somos minoria nas duas casas. O Governo tem mais espaço. As negociações para o segundo turno ainda estão acontecendo.

BE – O governo dizia que iria economizar R$ 1 trilhão em 10 anos com a reforma da Previdência. Vai ser isso mesmo ?

AO – Não é mais R$ 1 trilhão. A proposta original que veio do governo perdeu pontos tanto na Câmara quanto no Senado. Se passasse na integra as coisas estariam piores. Eu acho que o governo supervaloriza esses números.  Temos órgão de economia no Senado Federal que mostram que os valores que o governo espera para reforma da previdência estão muito altos. Hoje eu acredito que a reforma deve economizar em 10 anos na casa dos R$ 850 milhões. É claro que esses números não são precisos, mas estamos trabalhando para fazer uma reforma menos ruim para população e que seja benéfica a previdência.

BE- Como o PSD vai se comportar nas eleições de 2020?

OA- Nós ainda não estamos focados nas eleições do ano que vem. Vamos acompanhar o governador Rui Costa. Somos um time. A proposta que Rui adotar nós vamos seguir. Nas eleições, temos alguns municípios importantes sobre nossa gestão, então vamos trabalhar pelo time. O Governador vai tomar a decisão de como nós vamos sair nessa eleição e nós vamos trabalhar pela manutenção da aliança. Eu, Rui e Leão somos amigos há muito tempo e estamos prontos para seguir com a aliança com o governador. O PSD vai seguir com Rui.

Comentários