20 de outubro de 2020 às 03:15
Escolha seu idioma:

CURTA NOSSA PÁGINA DO FACEBOOK E RECEBA NOVIDADES

Ford anuncia programa de demissão voluntária na Bahia


Publicado em: 29/09/2020 17:02
Por: Redação Bahia Municípios com Agências Foto: Divulgação


De acordo com a empresa, programa de demissão terá três fases. Ford alega que pandemia fez lucro desabar e empregos serão perdidos.

A montadora Ford anunciou nesta segunda-feira (28), que vai realizar um Programa de Demissão Voluntária (PDV). Isso acontecerá em sua montadora que fica na cidade de Camaçari, na Região Metropolitana de Salvador.

De acordo com o Sindicato dos Metalúrgicos da Bahia, cerca de 10 mil trabalhadores são empregados desta empresa. A Ford não anunciou, no entanto, quantos deles perderão os empregos neste programa.

A empresa também não falou se existe uma meta de demissões nesse PDV. De acordo com os diretores, o trabalhador que participar do programa voluntariamente vai ter direito a todos as suas verbas rescisórias.

Ou seja, é como se o trabalhador perdesse o trabalho sem justa causa. Aí ele recebe todas essas verbas. Mas não é só isso. Ele também terá direito a uma indenização que vai variar a depender do tempo de contrato de trabalho de cada um. Ou seja, cada caso é um caso.

O anúncio desse programa acontece após semanas de um acordo entre a empresa e o Sindicato dos Metalúrgicos da Bahia. O próprio sindicato explicou que algumas demissões voluntárias podem ter indenizações que se aproximem dos 93 mil reais.

Crise na Ford

A Ford anunciou que esse PDV terá três fases. A primeira fase vai acontecer entre os dias 1 e 9 de outubro. Já a segunda fase acontece entre os dias 1 e 6 de novembro. A terceira e última fase acontece entre os dias 23 e 30 de novembro.

Vale lembrar que a Ford já está em um processo de layoff com cerca de 1500 empregados. Isso é um sistema que permite que esses empregados sejam afastados temporariamente. Nesse meio tempo, eles recebem uma espécie de seguro-desemprego.

Logo depois, eles voltam para o trabalho e a empresa volta a pagar os seus salários normalmente. Esse retorno para esses cerca de 1.500 trabalhadores deve acontecer só no início do mês de janeiro de 2021.

Comentários