20 de setembro de 2020 às 08:09
Escolha seu idioma:

CURTA NOSSA PÁGINA DO FACEBOOK E RECEBA NOVIDADES

Covid-19: Brasil pode ter sete vezes mais casos da doença, diz estudo


Publicado em: 26/05/2020 9:54
Por: Redação Bahia Municípios com Agências Foto: Divulgação


Estimativa foi feita com base em testes realizados em 133 cidades de todo o país.

Uma pesquisa nacional feita pela Universidade Federal de Pelotas (UFPel) teve como objetivo rastrear a imunidade dos brasileiros em relação ao novo coronavírus. O resultado aponta que a proporção de indivíduos com anticorpos da doença é de 1,4% em 90 cidades analisadas. Considerando a margem de erro, essa taxa pode ter uma variação entre 1,3% e 1,6%.

Ao todo, 25.025 residentes de 133 cidades de todo o país participaram do estudo. A soma dos moradores dos locais de testagem corresponde a 25,6% do total de brasileiros. Com isso, pode-se estimar que cerca de 760 mil estariam infectados – com margem de erro que varia de 705 mil a 867 mil. Esse número é sete vezes maior do que os dados oficiais registrados nessas localidades.

Os exames foram realizados em domicílio, por agentes de pesquisa que coletaram uma pequena amostra de sangue do paciente e a analisaram em um aparelho de teste que levou cerca de 15 minutos para indicar o resultado. Um sorteio foi realizado para escolher os participantes.

ReproduçãoCoronavírus no Brasil. Foto: Marcell Casal Jr/Agência Brasil

O trabalho, que avança para a segunda fase de coleta, foi feito entre 14 e 21 de maio. A equipe tem um cronograma para iniciar mais duas etapas em 15 e 30 dias. Os resultados vão servir para indicar o avanço da doença no país.

Além dos especialistas da UFPel, o estudo está sendo desenvolvido por cientistas da Universidade de São Paulo (USP) e da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp). A iniciativa tem apoio do Instituto Semeia e participação direta de profissionais do Laboratório Fleury e Ibope Inteligência.

Uma pesquisa semelhante foi feita recentemente na capital paulista e indicou um índice de imunização de cerca de 5% na população.

Comentários