21 de janeiro de 2021 às 07:46
Escolha seu idioma:

CURTA NOSSA PÁGINA DO FACEBOOK E RECEBA NOVIDADES

Conheça Ary Pereira de Oliveira, o novo secretário de Segurança Pública da Bahia


Publicado em: 16/12/2020 9:31
Por: Redação Bahia Municípios com Jornal Correio Foto: Divulgação


Ex-agente da ABIN está há 13 anos na SSP-BA e antes era o subsecretário.

O subsecretário Ary Pereira de Oliveira foi nomeado, nesta terça-feira, 15, como o novo secretário de Segurança Pública da Bahia, em caráter interino. A nomeação dele como titular da SSP-BA foi publicada no Diário Oficial do Estado (DOE) junto com as exonerações do ex-secretário Maurício Teles Barbosa e da chefe de gabinete da pasta, Gabriela Caldas Rosa de Macedo.

Barbosa foi afastado do cargo pelo período de um ano por determinação do Superior Tribunal de Justiça (STJ), que autorizou duas novas fases da Operação Faroeste, deflagradas anteontem pela Polícia Federal (PF).

Conhecido nos bastidores da SSP como ‘uma pessoa tranquila’, o atual secretário interino é natural de Ouriçangas, no Litoral Norte da Bahia. Ele é bacharel em Direito pela Universidade Federal da Bahia (UFBA) e chegou à secretaria de Segurança há 13 anos. Desde então, ocupava o cargo de subsecretário.

Em seu currículo, Ary Pereira tem ainda a trajetória como oficial – já aposentado – da Agência Brasileira de Inteligência – ABIN, órgão da presidência da República que é vinculado ao Gabinete de Segurança Institucional (GSI) e tem por missão assegurar que o Executivo Federal tenha acesso aos conhecimentos relativos à segurança do país e da sociedade brasileira.

A ABIN é responsável por fornecer ao presidente da República e a seus ministros informações e análises estratégicas sobre a segurança nacional, defesa externa, relações internacionais, segurança interna e desenvolvimento socioeconômico e científico-tecnológico.

Acessível e discreto

Nos bastidores da Justiça baiana, Ary Pereira é conhecido como uma pessoa calma e aberta ao diálogo.  “Ele é uma pessoa tranquila, de fácil acesso e bem-humorada, ao contrário de Barbosa, muito fechado. Ele procura ajudar e não é de coagir”, disse à reportagem um promotor do Ministério Público do Estado da Bahia.

Outro representante do MP também elogiou a escolha do governador Rui Costa em nomear interinamente Ary Pereira para o cargo de secretário de Segurança Pública. “Ele é uma pessoa leve, não é de criar conflitos. Ele é muito tranquilo. É uma pasta delicada para colocar qualquer um. É preciso não só entender todo o processo, mas ter a empatia de todos”, declarou o promotor, reconhecendo em Ary Pereira essa capacidade de ser empático com os subordinados.

Um juiz também ouvido pela reportagem classificou Ary Pereira como ‘um subsecretário discreto e que não costumava participar com frequência das ações interinstitucionais comuns no cotidiano da segurança pública’.

“Em tantos anos, ele nunca tratou de qualquer assunto institucional comigo. E olhe que foram dezenas de operações e investigações importantes ao longo da última década. As tratativas eram com o próprio secretário (o ex-secretário Maurício Barbosa) ou com a chefe de gabinete. Vários colegas meus, membros do MP e delegados têm  essa mesma percepção”, disse o juiz.

A reportagem do CORREIO também procurou os gestores dos órgãos que fazem parte da SSP-BA para comentarem sobre a nomeação do novo secretário da pasta.

As assessorias de comunicação da Polícia Militar e do Corpo de Bombeiros deram a mesma resposta: que os comandantes-gerais da Polícia Militar da Bahia (PMBA) e o do Corpo de Bombeiros Militar da Bahia (CBMBA) não comentam “decisões do chefe do executivo estadual”.

Já a assessoria de comunicação da Polícia Civil da Bahia (PCBA) disse que o delegado-chefe não iria se pronunciar sobre o assunto.

Quando era subsecretário da SSP-BA, Ary Pereira de Oliveira teve um episódio de tensão com o Movimento dos Sem Terra (MST). Em setembro de 2013, integrantes do movimento tentaram invadir a sede da secretaria, durante um protesto no Centro Administrativo da Bahia (CAB) e fioram impedidos pelo atual titular da Segurança Pública.

Na ocasião, o MST afirmou que o subsecretário efetuou três disparos em direção aos manifestantes. A SSP-BA, no entanto, informou que Ary Pereira efetuou apenas um disparo de advertência e que os manifestantes estavam armados com foices, facões, machados, enxadas e paus.

A SSP-BA acrescentou ainda que o disparo do então subsecretário fez os manifestantes recuarem e justificou que a ação serviu para garantir a integridade dos servidores do órgão que estavam no prédio para trabalhar, repudiando “qualquer manifestação violenta, que ameace a integridade dos funcionários e as instalações físicas de suas dependências”.

Operação Faroeste

Como desdobramento das novas fases da Operação Faroeste, nesta terça-feira,15, policiais foram pela manhã à sede da  SSP e deixaram o prédio com um malote. A delegada Gabriela Macedo, que era a  chefe de gabinete do ex-secretário Maurício Barbosa há anos, está sendo investigada por vazar informações sobre operações sigilosas, avisando antecipadamente alvos sensíveis. Ela é suspeita de avisar várias vezes ao falso cônsul Adailton Maturino sobre ações prestes a acontecer.

Segundo fontes do CORREIO na Secretaria de Segurança Pública da Bahia, os policiais que foram à sede do orgão lacraram o Centro de Operações e Inteligência da secretaria e também a Central de Monitoramento, de onde são feitas as escutas pelos grupos de inteligência da entidade. Perícias serão feitas nesses locais.

Procurada, a SSP-BA negou as perícias e disse que só foram cumpridos mandados na sala de Maurício Barbosa; além de sua residência.

Comentários