25 de outubro de 2020 às 12:53
Escolha seu idioma:

CURTA NOSSA PÁGINA DO FACEBOOK E RECEBA NOVIDADES

“Bolsonaro quer aumentar a pobreza e a fome”, diz Suíca


Publicado em: 20/08/2020 16:05
Por: Redação Pernambués agora Foto: Divulgação


O debate sobre a diminuição do valor do auxílio emergencial pelo governo federal durante a pandemia foi um dos assuntos que tomou os debates do Núcleo Popular do PT em Salvador.

Coordenado pelo vereador Luiz Carlos Suíca (PT), o coletivo petista defende a permanência da parcela de R$600 até o final do ano, como proposto pela sigla no Congresso Nacional. Nesta quinta-feira (20), Suíca não poupou críticas e disse que Bolsonaro e sua equipe de governo “não têm compromisso e não ajudam a conter os efeitos da crise sanitária”. O edil se refere ao dado vinculado na imprensa nacional de que o Planalto pagaria mais uma parcela de R$600 e as demais seriam de R$300 ou R$200.

“Bolsonaro quer aumentar a pobreza e a fome no país. Ele e sua turma não têm vontade alguma de diminuir as mortes diárias e nem de ajudar o povo a superar os efeitos da pandemia. É só ele abrir a boca e tudo desmorona. O Congresso que tem administrado neste período. Espero que continue assim, pois esses vetos derrubados sobre políticas e medidas de proteção para povos indígenas e quilombolas foram fundamentais, uma derrota enorme para Bolsonaro. E o auxílio no valor de R$600 foi aprovado e deve ser prorrogado até dezembro. O auxílio termina agora, em agosto, mas deve ser renovado urgentemente, o país ainda sofre diariamente com a covid-19”, descreve Suíca.

O vereador de Salvador descaracteriza que o governo não tenha condições de pagar o valor até o final do ano. Ele aponta que a Câmara e o Senado, quando aprovaram a medida, já estabeleceram no ‘orçamento de guerra’, que o Executivo não tivesse preocupação com limites da Lei da Responsabilidade Fiscal (LRF). “Acredito que o auxílio tem dado segurança alimentar e mais proteção social às famílias em situação de vulnerabilidade. O Brasil continua como uma nação doente, com mais de 110 mil mortos em apenas cinco meses. O governo federal deve prorrogar o auxílio até o fim do estado de calamidade pública. E não tenho dúvida que as bancadas do PT vão lutar por isso”, completa Suíca.

Comentários