16 de novembro de 2018 às 01:29
Escolha seu idioma:
CURTA NOSSA PÁGINA DO FACEBOOK E RECEBA NOVIDADES

Vigilância Sanitária alerta para os cuidados com consumo de caruru


Publicado em: 16/09/2018 6:28
Por: Redação | Foto: Reprodução


O consumo do camarão e do quiabo de origem desconhecida representa risco para saúde.

Camarão seco, quiabo, leite de coco e azeite de dendê são alguns dos ingredientes indispensáveis na preparação do tradicional caruru de São Cosme e São Damião.

Durante o mês de setembro, período dos festejos em homenagem aos santos, o prato típico é uma das receitas favoritas dos soteropolitanos. No entanto, os cuidados durante a compra desse produtos devem ser redobradas e, por causa disso, a Vigilância Sanitária de Salvador promete intensificar as operações de fiscalização nas principais feiras da cidade.

A ação tem como intuito garantir a qualidade e segurança desses ingredientes. De acordo com a chefe do Setor de Produtos e Estabelecimento de Interesse à Saúde da Vigilância, Gilmara Sodré, “é importante que o consumidor esteja atento para a aparência dos alimentos, informações dos rótulos e a procedência dos insumos”, para evitar intoxicações alimentares durante os festejos.

“O leite de coco e o azeite de dendê, por exemplo, têm um aspecto muito particular e depende de onde foi fabricado. Por isso, é importante verificar no rótulo a data de validade, informações do fabricante e o selo de liberação da Anvisa”, pontua Gilmara.

Outros pontos importantes a serem verificados pelo consumidor são a higiene do local e o acondicionamento dos itens nos estabelecimentos comerciais. “Produtos no chão, mesmo que em cima de plásticos; produtos secos, mas que estão amontoados; e lixeira sem tampa oferecem risco à saúde do consumidor e compromete a conservação desses alimentos”, afirma a sanitarista.

O consumo do camarão e do quiabo de origem desconhecida representa risco para saúde das pessoas. Isso porque, no processo de defumação, alguns produtores clandestinos utilizam substâncias químicas que podem causar sérios danos, além de adulterar e descaracterizar o alimento.

Em caso de detecção dessas irregularidades o consumidor pode entrar em contato com a Ouvidoria da Vigilância Sanitária através do Fala Salvador, no telefone 156

Comentários