17 de novembro de 2018 às 00:39
Escolha seu idioma:
CURTA NOSSA PÁGINA DO FACEBOOK E RECEBA NOVIDADES

“Usar arma é um legítimo direito do cidadão”, diz Amoêdo


Publicado em: 01/09/2018 19:20
Por: AGÊNCIAS DE NOTÍCIAS / Foto: Divulgação


O candidato falou que é o cidadão que tem que ser “responsável” por sua vida

Não é só o candidato a presidente da República Jair Bolsonaro (PSL) que defende o porte de armas para o cidadão brasileiro. O presidenciável João Amoêdo (Novo), no Recife, nessa quinta-feira (30), também contou por qual razão defende o uso de armas. Segundo ele, esse é um “legítimo direito do cidadão”.

Amoêdo disse que a liberdade para as pessoas usarem armas não irá aumentar o clima de insegurança no país. “Inclusive, desde que nós implementamos o Estatuto do Desarmamento, tiramos as armas da população de bem e, no entanto, o índice de criminalidade no Brasil vem crescendo ano após ano. Em vários países do mundo como os Estados Unidos é um exemplo, onde o crescimento da venda de armas de fogo aumentou, o índice de criminalidade reduziu. Então não tem, necessariamente, uma associação entre as duas coisas”, argumentou durante uma coletiva no comitê da legenda, no bairro do Pina.

O candidato falou que é o cidadão que tem que ser “responsável” por sua vida. “Ele tem que ser responsável pelas decisões que toma. Muitas vezes o Estado brasileiro julga o cidadão como se fosse alguém infantil, então ele pega o fundo de garantia do trabalhador, aplica numa taxa menor que é a poupança, faz com que o trabalhador tenha que fazer voto obrigatório, impede que o brasileiro tenha arma, tudo isso dentro do conceito de que nós não somos capazes de cuidar de nós mesmos e que precisamos do Estado, através de alguns políticos, para dizer o que a gente deve fazer, como deve fazer e de que forma a gente vai fazer. Isso tá errado, é isso que a gente quer mudar”.

Apesar de defender o porte, o empresário falou que o cidadão que fizer um mal tem que ser penalizado. “Um dos princípios do Novo é liberdade com responsabilidade. Se ele [cidadão] brigou no trânsito, sacou uma arma e atirou em alguém, tem que ser preso, encarcerado, e passar muito tempo  preso por isso”.

Ele ainda disse que existem muitas pessoas de bens que estão desarmadas. E, sobre sua visão pessoal, falou que não pretende usar armas. “Não é o meu perfil”, contou.

Comentários