19 de agosto de 2019 às 07:25
Escolha seu idioma:
CURTA NOSSA PÁGINA DO FACEBOOK E RECEBA NOVIDADES

‘Sargento’ do tráfico que movimentava milhões com cocaína pura é capturado


Publicado em: 06/04/2019 10:12
Por: Agências de Notícias Foto: Divulgação


Manuel Borges Júnior, o ‘Sargento’, 43 anos, líder de uma organização criminosa que movimentava milhões de reais com a venda de cocaína pura em Feira de Santana e em outros municípios do interior da Bahia foi surpreendido, na quinta-feira (4), em Sergipe. Equipes do Departamento de Repressão e Combate ao Crime Organizado (Draco) da Bahia, com apoio da Polícia Civil sergipana, chegaram ao suspeito que se escondia na cidade de Lagarto.

Em um sítio, no povoado de Colônia 13, zona rural daquele município sergipano, Sargento montou também um laboratório para refino de cocaína que terminou desmontado. Foram apreendidos prensa industrial, substâncias químicas, balança, embalagens plásticas, entre outros materiais.

“Sargento era tio de Rafael, outro líder do tráfico em Feira de Santana, que terminou morrendo em confronto com equipes da COE da Bahia em janeiro de 2017. Importante salientar o trabalho da Delegacia de Tóxicos e Entorpecentes (DTE) de Feira de Santana e o apoio da Superintendência de Inteligência da SSP”, enfatizou o diretor do Draco, delegado Marcelo Sansão.

Relembrando o caso

No último sábado, dia 30 de março, equipes da DTE/Feira de Santana apreenderam 160 discos de cocaína pura durante diligências que seguiram um casal durante trajeto Feira de Santana – Aracaju – Feira de Santana. A droga avaliada em R$ 5 milhões estava com um quinteto que terminou preso em flagrantes.

A investigação coordenada pela DTE/Feira de Santana foi iniciada após a apreensão de R$ 364 mil em espécie dentro de um táxi, em dezembro de 2018, por guarnições da PM de Feira de Santana.

“Podemos afirmar que o núcleo central da quadrilha, com seu líder e comandos secundários, foi desmontado. O trabalho continua, pois sabemos das possibilidades de encontrarmos mais entorpecentes e armas”, completou Sansão.

Comentários