13 de dezembro de 2018 às 04:24
Escolha seu idioma:
CURTA NOSSA PÁGINA DO FACEBOOK E RECEBA NOVIDADES

Rui pede reajuste de alíquota e vai extinguir 1.500 comissionados


Publicado em: 30/11/2018 23:55
Por: colunalevi@gmail.com | Foto: Joá Souza | Ag. A TARDE


Rui Costa mandou ontem para a Assembleia o projeto que aumenta a alíquota previdenciária de 12% para 14%. Diz ele que tem que ser. O déficit da Previdência hoje é de R$ 4 bilhões e, se deixar do jeito que vai, em 2022, ao final do segundo governo dele, estará em R$ 8 bilhões, o dobro, algo inviável.

Hoje, Rui manda o outro projeto, o da reforma administrativa do Estado. Ao que parece, aliviou a pretensão inicial de extinguir uma sucessão de empresas.

Estão certos que serão extintas a empresa que administra o Centro Industrial do Subaé (CIS), em Feira de Santana, e também a Superintendência de Desenvolvimento Industrial e Comercial (Sudic). Sobre outras empresas, até ontem, nada fechado.

Na máquina — Na máquina governamental a pancada vai ser forte. De 13 mil cargos comissionados existentes na máquina estadual, hoje 1.500 vão ser extintos em todos os setores.

Em outro projeto, Rui faz o ajuste das Constituições Federal e Estadual. A PEC por ele encaminhada estabelece o salário do governador, hoje em R$ 22,4 mil.

Na máquina estatal, 2.500 servidores ganham mais do que o governador hoje. E com o reajuste que a Justiça se deu, aumentando o teto para R$ 39 mil, eles teriam de aumento em torno de R$ 9 mil. Óbvio que muita gente vai espernear, mas a forte pressão de sindicatos, bases do PT, deu uma boa aliviada.

Comentários