15 de dezembro de 2018 às 21:40
Escolha seu idioma:
CURTA NOSSA PÁGINA DO FACEBOOK E RECEBA NOVIDADES

Projetos estudantis se destacam pela inovação e relação com os territórios de identidade da Bahia


Publicado em: 06/06/2018 7:04
Por: Ascom/ Secretaria da Educação do Estado


Mais de 240 trabalhos de iniciação científica, desenvolvidos por estudantes das unidades escolares da rede estadual de ensino da capital e interior do Estado, estão sendo apresentados na 7ª edição da Feira de Ciências, Empreendedorismo e Inovação da Bahia (Feciba), que integra a programação do XIX Encontro Internacional Virtual Educa, um dos maiores eventos mundiais sobre inovação e tecnologia aplicadas à Educação, que acontece até esta sexta-feira (8), no Centro Estadual de Educação Profissional, Formação e Eventos Isaías Alves (Iceia), no bairro do Barbalho, em Salvador. A iniciativa envolve a participação de 480 estudantes (dois em cada trabalho) e de 240 professores orientadores, cujos projetos chamam a atenção pela contextualização com os Territórios de Identidade da Bahia.

Os estudantes Alejandro Gomes Borges, 16, e João Vítor do Prado, 16, que fazem o curso técnico em Administração, no Centro Territorial de Educação Profissional do Sertão Produtivo (Cetep), localizado em Caetité, estão apresentando o “Robô Interativo”, que tem o objetivo de mostrar as dificuldades que um cadeirante tem em seu dia a dia. “O projeto foi criado com a intenção de conscientizar as pessoas sobre a acessibilidade, pois verificamos que na nossa cidade existem alguns locais que não possuem acessibilidade para cadeirantes. O robô, criado com estrutura de canos de PVC, roda de bicicleta, placa de arduíno, motores elétricos de carro, bateria de moto e outros materiais, pode se locomover pela cidade para identificar áreas de difícil acesso para cadeirantes. As placas de arduino instaladas permitem os movimentos comandados através de sensores infravermelhos e um tablet permite a interação com o público”, explica Alejandro Borges.

Visando a sustentabilidade, os estudantes Nicassio Ferreira, 16, 9º ano, e Anderson Galdino, 12, 7º ano, do Colégio Estadual Maria José Lima Silveira, localizado em Sobradinho, estão compartilhando o projeto “Helicóptero caseiro – Mapeamento de áreas degradadas e em recuperação”. “O projeto tem o objetivo de mapear áreas degradadas e áreas que receberão sementes nativas lançadas por meio do ‘Veículo Lançador de Sementes’, que é outro projeto desenvolvido na unidade escolar e que visa o reflorestamento de áreas, a exemplo da caatinga. Através das imagens capturadas pela câmera localizada na base do helicóptero e enviadas via wi-fi, podemos acompanhar o processo de germinação das sementes”, destacou Nicassio Ferreira.

Comentários