15 de dezembro de 2018 às 02:47
Escolha seu idioma:
CURTA NOSSA PÁGINA DO FACEBOOK E RECEBA NOVIDADES

Paraíso no litoral da BA aposta em festival LGBT e tenta virar destino turístico


Publicado em: 18/05/2018 7:11
Por: G1


Prefeitura do município de Cairu, do qual Morro de São Paulo faz parte, espera atrair quatro mil turistas com evento, que é particular, e atingir 100% de ocupação hoteleira em baixa estação.

Em plena baixa estação, quando o movimento de turistas pode cair até pela metade, o trade turístico de Morro de São Paulo, no litoral sul da Bahia, está animado com as expectativas de vendas no período, sobretudo a partir desta segunda quinzena do mês de maio, alavancadas com o festival LGBT San Island Weekend.

A segunda edição da festa privada, que no ano passado reuniu cerca de quatro mil turistas, acontece nesta sexta-feira (18), sábado (19) e domingo (20), na Fazenda Caeira, localizada na terceira das quatro praias de Morro, e conta com atrações como Ivete Sangalo e mais 15 Djs.

Povoado mais famoso do município de Cairu, no Baixo Sul da Bahia, Morro fica na Ilha de Tinharé, no arquipélago que leva o mesmo nome, a 60 quilômetros ao sul de Salvador. Recebe, anualmente, cerca de 200 mil visitantes por ano.

A expectativa da San Island Weekend em 2018 é novamente atrair cerca de quatro mil turistas e, assim, lotar a rede hoteleira, cuja estrutura conta com aproximadamente 12 mil leitos distribuídos entre pousadas, hotéis e casas de aluguel.

Para isso, o município diz que se prepara para se transformar num verdadeiro destino turístico gay-friendly, termo utilizado para se referir a lugares públicos ou privados que se preparam para ser receptivos ao público gay.

Para a festa, os hotéis e pousadas fazem parceria com a organização do evento. Os pacotes para o festival, que incluem os três dias de festa e a hospedagem em Morro, estão à venda no site do Grupo San Sebastian, que é produtor do evento.

Segundo a produção, a maior parte do público é constituído de paulistas, cariocas, brazilienses, mineiros e baianos. Os demais estados representam 19% do público. Quase 100% dos pacotes já foram vendidos.

Na alta estação, nos meses de dezembro, janeiro e fevereiro, segundo a prefeitura, Morro constuma atrair de 30 mil a 40 mil pessoas e a ocupação hoteleira fica entre 90% e 100%. Já na baixa estação, o movimento de turistas cai: a localidade recebe de 8 mil a 15 mil visitantes e a ocupação hoteleira fica entre 40% e 50%.

Imagem aérea da fazenda caeira, na Quarta Praia, onde será realizada a San Island Wekeend, em Morro de São Paulo. (Foto: Divulgação)

Imagem aérea da fazenda caeira, na Quarta Praia, onde será realizada a San Island Wekeend, em Morro de São Paulo. (Foto: Divulgação)

“Agora, alguns dias antes da festa, já estamos com 90% de ocupação na rede hoteleira, e a previsão é chegar aos 100%. No entanto, já existem hotéis e pousdas que não têm mais nenhuma vaga. É um movimento muito bom para um período de baixa estação. No ano passado, ficamos muito surpresos com o movimento por causa da festa. Parecia que estávamos no réveillon, que é quando temos o maior número de visitantes”, disse ao G1 a secretária municipal de Turismo de Cairu, que administra Morro de São Paulo, Diana Farias.

Ela informou que o trade turístico está participando de palestras sobre como lidar e recepcionar bem o público LGBT.

“Tivemos hoje uma dessas palestras na Secretaria de Turismo do Estado. São aulas mesmo de como recepcionar bem esse segmento, que cresce a cada ano. Por conta disso, todos os segmentos do trade são capacitados. O turismo LGBT só faz aumentar no mundo todo e é por isso que estamos nos preparando. A festa surgiu no ano passado e se consolidou. Por isso, a prefeitura está capacitando o trade turístico, através do Sebrae (Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas), Senac (Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial), para que as pessoas que vão recepcioná-los façam um bom trabalho”, disse Diana.

A prefeitura ainda espera que a San Island Weekend possa contribuir para que a ocupação hoteleira permaneça em alta até depois da festa.

“Sabemos que o público chega a ficar mais de quatro dias na localidade. São pessoas que vêm de todo o Brasil e de fora dele. E geralmente esse turista vem, conhece e volta. Não vem só no período da festa. E para que ele permaneça aqui por mais tempo ou para que volte depois, procuramos ainda organizar eventos, sejam eles relacionados a turismo esportivo, religioso, náutico, para manter a economia em alta na baixa estação, para que não haja uma queda muito grande de público no período”, destaca.

Dona de um restaurante à beira mar em Morro, a empresária Cristiane Martinez, diz que a preparação dos funcionários para receber os turistas durante a festa tem sido diferenciada. Espera, esse ano, um acréscimo de 20% nas vendas que o mesmo período do ano passado.

“Em 2017, foi bastante cheio, um sucesso. Esse ano, estamos mais preparados para anteder os clientes e fazer com que eles fiquem mais aqui ou possam vir novamente depois. Treinamos já os nossos funcionários, contamos com atendentes que falam outras línguas e vamos colocar um DJ para tocar no espaço, para ser uma atração a mais”, destaca.

O também empresário Antônio Carlos Berti, proprietário de quatro pousadas em Morro, diz que, assim como em 2017, espera que todos os seus estabelecimentos lotem esse ano.

“Desde a concepção do festival, tivemos a ideia de fazer pacotes junto com a organização do evento. Sabemos que é um público bem específico e, por isso, tratamos de nos preparar para atendê-lo, com muita educação e respeito, e atentamos para todos os detalhes para bem recepcioná-los”, destacou.

Roteiro

G1 fez um roteiro com dicas sobre o que os visitantes podem fazer em Morro de São Paulo.

Rodeada de águas claras e mornas, a Ilha de Tinharé possui uma faixa de praias inabitadas e uma reserva de Mata Atlântica rica em fauna e flora tropical. Neste cenário, os turistas podem fazer passeios ecológicos e praticar esportes. A Vila, que agrega bares, restaurantes e espaços onde ocorrem baladas noturnas, também é outra opção.

Morro tambem guarda um rico patrimônio histórico, com destaque para a fortaleza com 700 metros de muralhas, a Igreja Nossa Senhora da Luz, a Fonte Grande e o Casarão — os últimos registrados no diário de D Pedro II, durante sua visita em 1859.

Ao chegar em Morro, o turista precisa pagar uma tarifa única, no valor de R$ 15 — que tem o objetivo de assegurar a manutenção, restauração, e preservação do patrimônio histórico, cultural, ambiental e estrutural do arquipélago, bem como as condições ambientais e ecológicas da APA Tinharé.

  • Praias
Primeira Praia, em Morro de São Paulo (Foto: Márcio Filho/MTUR)

Primeira Praia, em Morro de São Paulo (Foto: Márcio Filho/MTUR)

O balneário é dividido em cinco praias, cada uma voltada para atividades diferentes. A “Primeira Praia” é bastante utilizada para a prática de surf.

Enquanto a “Segunda Praia” é a praia da agitação e da badalação, a “Terceira” é a mais calma, sendo bastante propícia para fazer caminhada e mergulho. É na “Terceira” onde ocorre a saída dos passeios turísticos pela região.

A “Quarta Praia” é a que reúne as piscinas naturais. Já a “Quinta”, conhecida como Praia do Encanto, possui ampla faixa de areia e exuberante paisagem.

  • Roteiro Histórico
Igreja da Nossa Senhora da Luz, em Morro de São Paulo (Foto: Márcio Filho/MTUR)

Igreja da Nossa Senhora da Luz, em Morro de São Paulo (Foto: Márcio Filho/MTUR)

A Fortaleza do Tapirandu, mais conhecida como o Forte de Morro de São Paulo, é considerado um dos maiores conjuntos defensivos do Brasil. Possui 678 metros de muralha e ruínas, protegidas pelo Patrimônio Histórico Nacional.

O turista também não pode deixar de visitar o Farol do Morro, a Fonte da Bica e a Igreja Nossa Senhora da Luz, do século XVII, que possui imagens sacras e o altar em estilo barroso.

  • Bem Estar

Praia da Gamboa, em Morro de São Paulo (Foto: Márcio Filho/MTUR)Praia da Gamboa, em Morro de São Paulo (Foto: Márcio Filho/MTUR)

Praia da Gamboa, em Morro de São Paulo (Foto: Márcio Filho/MTUR)

Outra opção para quem procura contato com a natureza é tomar um banho de argila na Praia da Gamboa, que, segundo especialistas, serve como tratamento rejuvenescedor. Outras opções são as caminhadas, a prática de yoga em diversos pontos da ilha, massagens relaxantes e picos propícios à meditação.

  • Badalação

Para quem prefere o agito das baladas, o Morro de São Paulo oferece opções de festas de segunda a segunda. Os visitantes podem conferir música ao vivo nas praias ou nos restaurantes da Vila. Para quem prefere madrugar, as opções são as boates e lounges de música eletrônica.

  • Esportes
Turistas podem se aventurar em tirolesa com 57 metros de altura e outros 347 de comprimento (Foto: Márcio Filho/MTUR)

Turistas podem se aventurar em tirolesa com 57 metros de altura e outros 347 de comprimento (Foto: Márcio Filho/MTUR)

Comentários