22 de março de 2019 às 17:50
Escolha seu idioma:
CURTA NOSSA PÁGINA DO FACEBOOK E RECEBA NOVIDADES

Neto pretende mexer em mais quatro cargos no segundo escalão


Publicado em: 14/03/2019 9:51
Por: Rodrigo Daniel Silva


Segundo ele, as mudanças devem ocorrer até a próxima semana e não serão anunciadas em evento, mas apenas divulgação no Diário Oficial.

O prefeito de Salvador, ACM Neto (DEM), pretende mexer em mais quatro cargos no segundo escalão. Segundo ele, as mudanças devem ocorrer até a próxima semana e não serão anunciadas em evento, mas apenas divulgação no Diário Oficial. O democrata planeja alterar o comando da Empresa de Limpeza Urbana (Limpurb). Leonardo Oliveira, que é indicado do deputado estadual e vereador licenciado Tiago Correira (PSDB), deixará a posto. Em seu lugar, o nome mais cotado é o do ex-secretário municipal de Ordem Pública, Marcus Passos, que deixou a Semop para que o vereador Felipe Lucas (MDB) assumisse o cargo. Neto queria tirar a Secretaria de Infraestrutura (Seinfra) do MDB, mas, para manter a sigla como aliada, contemplou os emedebistas com outra pasta.

A Seinfra está hoje sob a batuta do vice-prefeito de Salvador, Bruno Reis (DEM). O prefeito também pretende mexer na subsecretaria da Secretaria de Cultura e Turismo (Secult). Cristian Cardoso deixará o cargo, que passará a ser ocupado pelo ex-deputado estadual Pablo Barrozo (DEM), que não conseguiu se reeleger na eleição passada. Barrozo foi assessor de ACM Neto no período que o prefeito era deputado federal.

Neto também irá mexer na subsecretaria da pasta de Desenvolvimento e Urbanismo (Sedur). Segundo o chefe do Palácio Thomé de Souza, Mila Correia, que está no cargo hoje, recebeu uma proposta da iniciativa privada e decidiu sair. O ex-assessor de Relações Institucionais do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE), Maurício César Marques de Carvalho, era cotado para o lugar, mas, segundo apurou a Tribuna, perdeu força.

Com a saída de Henrique Trindade da Agência Reguladora e Fiscalizadora dos Serviços Públicos de Salvador  (Arsal), é possível que outro nome assuma o posto. Ele deixou o cargo para ser candidato à vaga da advocacia no Tribunal Regional Eleitoral da Bahia (TRE-BA). Irmão dos vereadores José Trindade (Podemos) e Maurício Trindade (DEM), Henrique está na lista tríplice e aguarda a escolha do presidente Jair Bolsonaro (PSL). Caso Bolsonaro rejeite o nome dele, especula-se que pode retornar para a Arsal.

O prefeito irá definir também quem vai comandar a diretoria de defesa dos animais. O cargo foi criado no final do ano passado e visa agradar a deputada estadual Marcell Moraes (PSDB) e a sua irmã, a vereadora Marcelle Moraes (sem partido). Os dois devem indicar um nome para o posto.

 

 

Comentários