13 de dezembro de 2018 às 04:25
Escolha seu idioma:
CURTA NOSSA PÁGINA DO FACEBOOK E RECEBA NOVIDADES

Fotógrafo francês expõe o rosto do baiano nos muros de Salvador


Publicado em: 03/12/2018 23:41
Por: AGENCIA DE NOTÍCIAS/ Foto: Divulgação


Desde 2016, ele vem viajando por diferentes lugares do mundo.

Os registros são colados sobrepostos em muros e paredes

Num bairro, numa comunidade, numa cidade, diferentes identidades se cruzam cotidianamente. Um fotógrafo francês sai em busca de pessoas em sua rotina, e lhes faz retratos em preto e branco. Este é o projeto “Mostre-se”, de Hugues Anhes, artista que usa a fotografia como um meio que permite que os sujeitos se revelem, encontrando nas intimidades também aquilo que é universal.

Os registros são então impressos em grandes dimensões, como lambe-lambe, colados sobrepostos em muros e paredes, e depois arranhados, revelando rostos distintos como se fossem um só: uma instalação que propõe ir além de nossos preconceitos e nos convida a buscar uma nova percepção dos outros e de nós mesmos.

Desde 2016, ele vem viajando por diferentes lugares do mundo realizando esta empreitada. Agora, ele está encontrando e exibindo novos rostos em Salvador, como residente do Programa de Residência Artística Vila Sul do Goethe-Institut Salvador-Bahia, em parceria com a Aliança Francesa Salvador e apoio do Deutsch-Französische Kulturfonds.

Desde meados de outubro, Hugues fez sessões de fotografias em lugares como a Estação da Lapa, a Universidade Federal da Bahia (UFBA), a unidade feminina da Penitenciária Lemos de Brito, os bairros de Dois de Julho e Plataforma, entre outros. Já montou colagens no bairro do Campo Grande, na Rua Carlos Gomes, no Pelourinho e na própria sede do Goethe-Institut.

Nos próximos dias, a agenda de construção de instalações seguirá no Centro Cultural Plataforma e outros muros do bairro, Penitenciária Lemos de Brito, Teatro Vila Velha, EcoSquare no Rio Vermelho e outras escolhas a serem definidas.

A técnica de Hugues Anhes, ao sobrepor retratos de pessoas diferentes uns sobre outros, em montagens com rasgos, acaba por alterar diferenças superficiais, misturando feições para criar a soma de indivíduos.

Sua intenção é fazer pensar sobre o que é o mesmo e o que é diferente. Assim, as instalações constroem pontes culturais e proporcionam uma reflexão sobre quem somos como seres humanos, contribuindo para a criação de uma nova consciência coletiva.

“Mostre-se”, de Hugues Anhes (França)

Agenda de instalações:
6/12 (qui): Plataforma
7/12 (sex): Unidade Feminina da Penitenciária Lemos de Brito
8/12 (sáb): Teatro Vila Velha – Passeio Público
9/12 (dom): EcoSquare – Rua Conselheiro Pedro Luiz, 348 – Rio Vermelho

Comentários