17 de agosto de 2018 às 08:19
Escolha seu idioma:
CURTA NOSSA PÁGINA DO FACEBOOK E RECEBA NOVIDADES

Ensino tecnológico é a principal alternativa para inserir jovens no mercado


Publicado em: 14/05/2018 8:08
Por: AG. A TARDE Foto: Divulgação


O Núcleo de Inovacões e Tecnologia Educacionais, centro que integra o Sistema Fieb/Senai, é uma das unidades de ensino mais avançada do estado.

Com um dos piores índices do país no Ideb, o Índice de Educação Básica (Ideb), a Bahia enfrenta o desafio de melhorar nos próximos anos a formação de uma juventude que vai chegar a um mercado de trabalho em que 40% das profissões atuais serão obsoletas. E o ensino tecnológico é a principal alternativa para aumentar a inserção dos jovens baianos

E a aposta na tecnologia ganhou um novo impulso esta semana, com o lançamento da programação do XIX Virtual Educa, projeto da Organização dos Estados Americanos, que vai reunir no Iceia e no Porto de Salvador, de 4 a 8 de junho, especialistas de todo o continente para discutir educação e inovação e o lançamento mundial do Pense Azul, um programa do Banco Mundial voltado para a economia do mar.

“Esse programa vai ser lançado em Salvador, durante o Virtual Educa, entre outras coisas porque temos aqui uma das maiores baías do mundo”, afirmou o secretário estadual de Educação, Walter Pinheiro, para quem o evento vai ser importante para detectar o quadro atual da educação no estado e analisar como as novas ferramentas podem ser utilizadas em sala de aula.

“A realização do evento em Salvador é muito importante, pois estimula os docentes e alunos a buscarem alternativas inovadoras para as necessidades educacionais no atual contexto”, afirma Ricardo Lima, gerente do Núcleo de Inovação e Tecnologias Educacionais (Ited), centro que integra o sistema Fieb/Senai e que é uma das unidades de ensino mais avançadas do estado.

Um pouco mais cético, o presidente da Associação Brasileira de Recursos Humanos (ABRH-BA), Cezar Almeida, já inscrito no evento, ainda vincula o seu sucesso a ações posteriores. “É uma ótima chance, mas o legado vai ser nulo se governo e iniciativa privada não apresentarem propostas de melhoria da educação”, afirma ele, que trabalha com a projeção de que quatro em cada dez profissões deixarão de existir, como os motoristas por exemplo. “As montadoras já trabalham com o lançamento de automóveis autônomos”, explica.

Segundo o relatório do Ideb referente a 2015, apenas 2% das escolas baianas atingiram a meta nacional de qualidade estipulada pelo Ministério da Educação para 2021.

Entre as ilhas de bom ensino no estado, há novidades. O Ited, que desenvolve aplicações de realidade aumentada e virtual, simuladores, ambiente web gamificado e games educacionais, está ampliando suas instalações.

Regiani Cravo, mostra o uso de óculos de realidade virtual.

No início do 2º semestre deste ano, será inaugurado o Tedlab, um conjunto de laboratórios de tecnologias educacionais em espaço de 800 m², com design e mobiliário diferenciados para criar um ambiente que potencialize a criatividade dos alunos. “Todo esse ambiente tecnológico terá uma utilização norteada por metodologias educacionais inovadoras e estará à disposição dos alunos e docentes, criando um ecossistema favorável ao processo de aprendizagem e de estímulo à inovação educacional”, diz Lima.

Colégio Militar

Outra medida que começa a se espalhar pelo interior do estado é a adoção da metodologia de ensino do Colégio da Polícia Militar (CPM) nas redes municipais. Na última quinta-feira, foi assinado um termo de cooperação técnica entre o governo estado e a União dos Municípios da Bahia (UPB).

“Surpreendentemente, tivemos a presença de representantes de 30 municípios”, comemora o presidente da UPB, Eures Ribeiro, prefeito de Bom Jesus da Lapa, que vai começar a adotar o modelo militar de ensino no próximo mês de agosto.

No início do ano, essa questão gerou desconforto em parte da base de apoio ao governo do estado, que reclamou da militarização das escolas. Segundo o presidente da UPB, além da adoção do padrão de ensino reconhecidamente bom do CPM, o convênio deve, sim, ajudar a resolver questões de segurança e tráfico de drogas dentro das escolas municipais. “Há muita cobrança por parte da sociedade, e essa cooperação vai nos auxiliar”, disse Ribeiro.

XIX Encontro Virtual Educa

Onde: Colégio Iceia, no Barbalho, e Porto de Salvador
 
Quando: 4 a 8 de junho
 
Fórum Global – Evento sobre educação e inovação que acontece no Terminal Marítimo do Porto de Salvador, durante o qual será apresentada a iniciativa Pense Azul, do Banco Mundial
 
Virtual Educa Bahia 2018 – Evento ligado ao I Fórum Global Virtual Educa sobre ‘Cooperação SUL-SUL’, sobre questões de inovação para inclusão
 
Vinculação institucional – Reunião entre instituições multilaterais e governo local
 
Inscrições – Podem ser feitas até  domingo,  20 de maio, no site http://virtualeduca.org/

Comentários