16 de novembro de 2018 às 08:33
Escolha seu idioma:
CURTA NOSSA PÁGINA DO FACEBOOK E RECEBA NOVIDADES

Concurso vai eleger a Miss Bariátrica 2018


Publicado em: 25/08/2018 21:17
Por: AGÊNCIAS DE NOTÍCIAS / Foto: Divulgação


Miss Bariática 2017.

Com o tema “O seu sonho virou arte”, o Miss Bariátrica também vai dar origem a uma exposição fotográfica que deve acontecer em data a ser divulgada ainda em 2018. O concurso tem como proposta promover um estilo de vida saudável, desmitificar tabus sobre a cirurgia bariátrica e valorizar mulheres que descobriram uma nova vida após terem sido submetidas a uma cirurgia bariátrica para tratamento da obesidade mórbida e de doenças associadas ao excesso de peso. O júri vai escolher a mais bela candidata.

“Todas as candidatas já podem ser consideradas vencedoras, pois superar a obesidade exige muita disciplina, determinação e força de vontade. Apenas a cirurgia não faz milagres se o paciente não mudar seus hábitos”, afirma o cirurgião bariátrico Erivaldo Alves, diretor do NTCO e membro titular da Sociedade Brasileira de Cirurgia Bariátrica e Metabólica (SBCBM). “Além da saúde física e emocional, essas mulheres resgataram sua autoestima, confiança e qualidade de vida”, explica o médico.

Quase 20% da população de Salvador está obesa

De acordo com a Pesquisa de Vigilância de Fatores de Risco e Proteção para Doenças Crônicas por Inquérito Telefônico (Vigitel), de 2017, do Ministério da Saúde, quase 1 em cada 5 brasileiros está obeso, ou seja 18,9%, e mais da metade da população das capitais brasileiras (54,0%) está com excesso de peso. O levantamento revela ainda que 19,05% dos habitantes de Salvador (BA) estão obesos e que 53% possuem excesso de peso (sobrepeso).

Entre as doenças e complicações associadas à obesidade, estão hipertensão arterial, doenças cardiovasculares, artropatias (doenças das articulações), diabetes mellitus tipo 2, problemas de circulação, refluxo gastroesofágico, apneia so sono (parada respiratória involuntária durante o sono), colesterol alto, esteatose hepática (gordura no fígado), vários tipos de câncer, disfunções respiratórias, distúrbios hormonais, depressão e outros transtornos psicológicos.

Considerada uma doença crônica, multifatorial, progressiva e que pode causar a morte precoce, a obesidade resulta de um desequilíbrio entre a quantidade de calorias ingeridas e a quantidade gasta, causando acúmulo de gordura. A doença é reconhecida, hoje, como importante problema de saúde pública. De acordo com a Organização Mundial de Saúde, trata-se de uma epidemia global, decorrente de hábitos alimentares, sedentarismo e fatores genéticos. Uma pessoa com Índice de Massa Corporal (IMC) acima de 30 é considerada obesa. O IMC é calculado dividindo-se o peso da pessoa em quilos por sua altura ao quadrado.

Ter uma alimentação saudável, combater o sedentarismo e praticar atividade física regular são fatores fundamentais para prevenção do sobrepeso e da obesidade, assim como das inúmeras doenças associadas ao excesso de peso.

A cirurgia bariátrica

O número de cirurgias bariátricas realizadas no Brasil de 2012 a 2017 aumentou 46,7%. O país é o segundo no ranking de cirurgia bariátrica, atrás apenas dos Estados Unidos. De acordo levantamento da Sociedade Brasileira de Cirurgia Bariátrica e Metabólica (SBCBM), no ano de 2017, foram realizados 105.642 cirurgias bariátricas no Brasil, o que representa 5,6% a mais do que no ano anterior (2016), quando o número de cirurgias realizadas no setor privado alcançou 100 mil pessoas.

O tratamento cirúrgico é recomendado em casos específicos, quando o grau de obesidade ou de doenças associadas com risco de morbidade torna a cirurgia uma alternativa mais eficaz e resoluta. Além de tratar a obesidade, a cirurgia também apresenta um alto índice de resolução de doenças associadas ao excesso de peso, como diabetes, hipertensão, apneia do sono e esteatose hepática.

Apesar de ser bastante segura, a cirurgia bariátrica apresenta riscos como qualquer procedimento cirúrgico e deve ser realizada em centros especializados. “O paciente precisa ser acompanhado por uma equipe multidisciplinar antes e depois do procedimento”, explica o cirurgião Erivaldo Alves. Cada caso precisa ser avaliado cuidadosamente. A análise do paciente envolve vários exames clínicos e laboratoriais. É importante que o paciente esteja bem informado sobre o procedimento, o pré e o pós-operatório e os hábitos que terá que adotar após a cirurgia. A indicação cirúrgica pode ser feita dos 18 aos 65 anos.

Sobre o NTCO

Com 17 anos de fundado, o Núcleo de Tratamento e Cirurgia da Obesidade (NTCO) atua no tratamento clínico e cirúrgico da obesidade e suas comorbidades. Como agente social na luta contra a doença, o NTCO conta com equipe multidisciplinar com cirurgiões, endocrinologista, oncologista, fonoaudiólogo, nutricionista, psicólogo, pneumologista, educador físico e fisioterapeuta, oferecendo todo suporte necessário para uma abordagem integral do paciente. A clínica é dirigida pelo cirurgião bariátrico, Erivaldo Alves, membro titular da Sociedade Brasileira de Cirurgia Bariátrica e Metabólica (SBCBM).

Comentários