23 de outubro de 2018 às 15:24
Escolha seu idioma:
CURTA NOSSA PÁGINA DO FACEBOOK E RECEBA NOVIDADES

Brasil tem 335 obras paradas, concluí-las custaria R$ 22 bi


Publicado em: 18/09/2018 20:55
Por: AGÊNCIAS DE NOTÍCIAS / GloboNews / Foto: Divulgação


O Brasil tem 335 obras de mobilidade paradas, atrasadas ou que sequer foram iniciadas. A informação foi divulgada hoje pela GloboNews, a partir de levantamento do Ministério das Cidades, obtidos com exclusividade pela emissora, via Lei de Acesso à Informação. ,

De acordo com os dados, todos os projetos foram custeados, pelo menos em parte, com dinheiro do governo federal. Segundo o Ministério das Cidades, já foram gastos pela pasta mais de R$ 7 bilhões em obras que ainda não foram concluídas e ainda faltam R$ 22 bilhões para finalizar todos esses investimentos – dados são referentes ao mês de agosto.

De acordo com os dados, são 173 obras atrasadas, 116 paradas e 46 que ainda não saíram do papel. A obra mais cara dentre as pendentes é a do Monotrilho da Linha 17 Ouro, em São Paulo.

Foi prometida para antes da Copa do Mundo de 2014, mas até hoje não foi concluída. O equipamento ligaria o Aeroporto de Congonhas aos trens metropolitanos. Orçada inicialmente em R$ 1,39 bilhão, custa agora R$ 3,7 bilhões e a promessa é que seja entregue no final de 2019.

As milhares de obras paradas no Brasil limitam o crescimento econômico impõem custos extras para o governo, que precisa manter a integridade das instalações iniciadas. Em junho do ano passado, por exemplo, a estatal Valec, que administra projetos ferroviários, foi obrigada a contratar duas empresas de segurança para resguardar os investimentos feitos em dois lotes da Ferrovia da Integração Oeste-Leste (Fiol), na Bahia. Na época, os trechos estavam parados.

De acordo com matéria veiculada pelo Estadão, os contratos para 20 seguranças armados no local custaram à Valec quase R$ 2 milhões por 12 meses. Os dois lotes foram paralisados por causa da rescisão com as construtoras envolvidas por descumprimento de contrato.

Comentários