13 de dezembro de 2018 às 05:01
Escolha seu idioma:
CURTA NOSSA PÁGINA DO FACEBOOK E RECEBA NOVIDADES

Bolsonaro quer programas sociais submetidos a auditoria


Publicado em: 24/11/2018 18:05
Por:


O presidente eleito Jair Bolsonaro afirmou neste sábado (24) no Rio de Janeiro que não pretende acabar com os programas sociais, mas disse que todos passarão por auditoria. O objetivo, segundo ele, é fazer com que as pessoas com capacidade para trabalham estejam no mercado de trabalho e não sejam dependentes do Estado. “Projeto social tem que ser para tirar a pessoa da pobreza e não para mantê-la num regime de quase dependência. Nós não queremos nenhum brasileiro dependendo do Estado”, afirmou.

Segundo ele, o objetivo é identificar os que podem trabalhar para integrá-los ao mercado de trabalho. “Logicamente, ninguém será irresponsável a ponto de acabar com qualquer programa social, mas todos serão submetidos a auditoria para que aqueles que podem trabalhar entrem no mercado de trabalho e não fiquem dependendo do Estado a vida toda”, disse. Bolsonaro deu as declarações em entrevista após participar da comemoração do 73º aniversário da Brigada de Infantaria Paraquedista, no Rio de Janeiro.

Durante a cerimônia, Bolsonaro desfilou pela Vila Militar ao lado de outros ex-paraquedistas. Ele disse ter desobedecido “um pouquinho” as recomendações médicas, mas destacou que a “vibração” do evento ajuda na recuperação. “Não tem problema. Eu não posso é me submeter ao esforço prolongado. Reconheço que até desobedeci um pouquinho a recomendação médica, mas, afinal de contas, essa vibração aqui é muito bem vinda e ajuda na recuperação”, afirmou.

O presidente eleito passou por uma nova avaliação médica nesta sexta-feira (23), em São Paulo. Em razão de uma inflamação, os médicos decidiram adiar para depois da posse a cirurgia que estava marcada para o próximo dia 12. O objetivo da cirurgia é retirar a bolsa de colostomia que Bolsonaro usa desde que foi operado em razão de uma facada sofrida em um atentado durante a campanha eleitoral.

Ele afirmou que foi orientado a voltar ao hospital no dia 19 de janeiro para uma nova consulta e, se os médicos constatarem melhora do quadro, poderá ser submetido à cirurgia no dia seguinte. Caso contrário, a cirurgia será adiada novamente.

 

Comentários