14 de novembro de 2018 às 22:03
Escolha seu idioma:
CURTA NOSSA PÁGINA DO FACEBOOK E RECEBA NOVIDADES

Auditoria confirma que não há indícios de fraude em urnas do Paraná


Publicado em: 20/10/2018 21:03
Por: ESTADÃO|Foto: ARQUIVO


Justiça Eleitoral fez auditoria nas urnas no PR e SC

Auditoria realizada nesta sexta-feira, 19, pelo Tribunal Regional Eleitoral do Paraná(TRE) concluiu que não há indícios de fraude no sistema ou no funcionamento de urnas eletrônicas. A averiguação dos equipamentos em que foram apontados problemas na votação de primeiro turno começou às 8h da manhã, só se encerrou à noite e foi acompanhada por técnicos dos tribunais eleitorais nacional e estadual, da Polícia Federal, e indicados pelo PT e PSL.

A auditoria foi realizada em cinco urnas de Curitiba e outra de Campo Largo, na região metropolitana, e dois equipamentos de Santa Catarina: um de Florianópolis e outro de São José. O pedido de análise foi feito pelo PSL, sigla do presidenciável Jair Bolsonaro, que argumentou que eleitores relataram que tiveram o voto encerrado antes do final.

Além de descartar fraude, os auditores concluíram que os sistemas instalados nas urnas averiguadas são os mesmos que foram lacrados pelo TSE, ou seja, não havia nenhum software “trocado”, e que os equipamentos estavam em perfeitas condições de uso e funcionamento. Também foi executado um procedimento de validação da assinatura digital do software.

Foram convidados para acompanhar a auditoria também representantes do Tribunal, do Ministério Público Eleitoral, da Ordem dos Advogados do Brasil, de comissões eleitorais, e representantes de associações de redes de rádio, televisão e imprensa do Paraná.

A reclamação mais comum dos eleitores foi a de que o voto era encerrado antes que se pudesse apertar a tecla “confirma”, mas o PSL apontou outras possíveis irregularidades, como o direcionamento de votos ao presidenciável Fernando Haddad (PT); ausência de foto de Bolsonaro na urna; encerramento da votação antes que se registrasse o voto para presidente; e ainda falta de alerta sonoro da urna eletrônica, característico do encerramento da votação.

Juiz diz que auditoria deve ser acatada como ‘definitiva’

Via assessoria do TRE, o diretor de Informática da Associação dos Magistrados do Paraná (AMAPAR) e da Associação dos Magistrados Brasileiros (AMB), o juiz estadual Sérgio Bernardinetti declarou que a resposta dada pela auditoria deve ser “acatada como definitiva pela sociedade”.

“Trata-se de uma auditoria feita pela própria sociedade civil. Somos nós, a população, que estamos fazendo essa auditoria. Podem ocorrer defeitos nos equipamentos, mas nenhum desses problemas foram decorrentes de fraude para modificar o voto”, disse.

Os laudos da auditoria do Paraná e de Santa Catarina serão agora apreciados pela Corte da Justiça Eleitoral de cada Estado.

Comentários